OSCAR: O Bonito Mais já viu “Som do Silêncio”, que tá disponível da Amazon Prime. Confira aqui:

Últimas Notícias

No domingo, 25, é dia de Oscar. Nestes tempos de pandemia, com dificuldades para salas de cinema em todo o mundo, muitos dos filmes que concorrem nas diversas categorias da principal premiação do cinema mundial estão disponíveis em serviços de streaming, como Netflix e Amazon Prime.

Então, vários dos indicados em diversas categorias estão a um clique de você. Pra te ajudar a maratonar e estar bem-informado para a cerimônia de domingo, vamos trazer a partir de hoje informações sobre alguns dos indicados, impressões sobre o que nossos jornalistas acharam  – sem a pretensão de sermos exímios críticos de cinema. Apenas compartilhamos opiniões pessoais sobre como fomos impactados pelas obras que disputam o Oscar 2021.

Som do Silêncio

O filme mostra como o baterista Rubem (Riz Ahmed, indicado ao Oscar de Melhor Ator pelo papel) enfrenta a agoniante jornada da perda da audição, vendo-se obrigado a reaprender a se comunicar com o mundo – passando pelo processo de aceitação da sua nova condição numa comunidade de surdos em que, entre outras coisas, se vê obrigado a construir novas relações, aprender a falar a linguagem de sinais e reencontrar um lugar no mundo.

A busca pela aceitação da condição de surdez um dos motores do filme, com o protagonista insistindo em realizar uma cirurgia para colocação de um implante.

A forma como a obra demonstra a perda auditiva do personagem, levando o espectador a mergulhar em “sons surdos” faz com que acompanhemos de perto a dor do personagem. Não por acaso, uma outra das seis indicações ao Oscar obtidas pelo filme é a de Melhor Som.

O filme é repleto de boas atuações e foge de clichês, o que faz com que valha bastante à pena.

Tá disponível no Prime Vídeo.

Veja as outras indicações do filme:

Está disponível no catálogo do Prime Video.

Todas as indicações de Som do Silêncio

Melhor Filme – Apesar de não ser um dos principais favoritos da disputa, a simples presença do filme na categoria já pode ser considerada uma vitória – ideia que se repete em outras das indicações

Melhor Ator – Com o franco favoritismo de Chadwick Boseman (“A Voz Suprema do Blues”), Riz Ahmed deve parar na indicação. No entanto, em outro ano, a disputa poderia facilmente ser entre ele e Anthony Hopkins (“Meu Pai”), por exemplo

Melhor Ator Coadjuvante – Mais um caso de “a indicação é a vitória”, já que o sutil trabalho de Paul Raci conseguiu garantir reconhecimento na categoria, mas não teve tração ao longo da temporada.

Melhor Roteiro Original – Darius Marder dirige e escreve o longa, sendo estreante na posição de cineasta, mas não na de roteirista. Mesmo que tenha perdido indicação em Direção, foi reconhecido pelo roteiro direto e econômico

Melhor Edição – A presença de um longa indicado a Melhor Filme na categoria de Melhor Edição, por dados históricos, é um sinal de mais chances na disputa pelo grande prêmio. A falta de indicação em Direção, porém, é o “pé no freio” para a produção

Melhor Som – Vitória mais provável do longa, que tem em “Soul”, também ligado à música, o principal competidor. No entanto, a forma com que “O Som do Silêncio” elabora a ausência de escuta do personagem na camada sonora da obra deve prevalecer.

Com informações de João Gabriel Tréz, de mais.opovo.com.br

Notícias Relacionadas

Estudo apoiado pela Fundect gera a 1ª patente do óleo essencial de guavira para uso em cosméticos

De aroma único, a fruta símbolo de Mato Grosso do Sul poderá ganhar nova vida em perfumes, cremes e...