Condenada por guardar drogas para o marido é presa em Campo Grande

Por Redação

Últimas Notícias

Jardim registra novo óbito por Covid-19

O Município de Jardim registrou mais um óbito por Covid-19. Conforme o boletim da Secretaria de Estado de Saúde,...

Dez moradores da região do Sudoeste do Estado acertam a quinta na Nota MS Premiada

O sorteio da Nota MS Premiada deste sábado (27) irá premiar 345 pessoas em Mato Grosso do Sul. Entre...

MS é o 2º no ranking nacional de vacinação

Em contraponto, o Estado já atingiu 3330 mortes O Estado do Mato Grosso do Sul registrou, nesta segunda-feira (1), a...

Prouni abre inscrições para lista de espera nesta segunda-feira

Diferentemente da segunda chamada, a espera não é automática Interessados em entrar na lista de espera de bolsas de estudo pelo Programa Universidade para Todos...

Prefeitura de Guia Lopes altera horário de atendimento ao público

A Prefeitura de Guia Lopes da Laguna divulgou, por meios das redes sociais, o novo horário de atendimento ao...

Policiais da DEH (Delegacia Especializada a Repressão aos Crimes de Homicídio) prenderam nesta quinta-feira (18) uma mulher condenada por tráfico de drogas em Campo Grande. O crime aconteceu há 8 anos e na época ela confessou ter guardado maconha e haxixe a pedido do marido presidiário.

Em janeiro de 2013 policiais militares da Capital receberam denúncias de que uma casa do Bairro Carandá Bosque era usada como depósito de droga. Chegaram ao endereço e descobriram que a mãe de um interno do Estabelecimento Penal Jair Ferreira de Carvalho, a Máxima de Campo Grande, morava no local.

Nas buscas, encontraram porções de maconha e haxixe escondidas no guarda roupa e por isso a moradora foi levada para a delegacia, mesmo negando o crime. Pouco depois, a verdadeira suspeita procurou a polícia e assumiu que a droga era sua.

A mulher explicou que era casada com o filho da suposta traficante e estava morando com ela, por isso a maconha estava na casa. Detalhou também que guardava o entorpecente a pedido do marido presidiário e que a sogra não sabia.

No ano seguinte, 2014, a mulher foi condenada a três anos em regime fechado pelo tráfico, mas não foi encontrada até a manhã desta quinta-feira. Os policiais da especializada prenderam a acusada no Bairro Guanandi.

A presa foi encaminhada ao sistema penitenciário.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Notícias Relacionadas

Nioaque recebe 309 doses e retoma vacinação contra Covid na segunda, 1º de março

Na sexta, 26, em mais uma etapa do Plano Nacional de Imunização (PNI), Nioaque recebeu nova remessa de vacinas,...