Reserva Biológica de Miranda pode ter maior gruta vertical de MS

Últimas Notícias

A Reserva Biológica (Rebio) de Miranda é uma área que tem cerca de 850 hectares de mata que foram doados à Prefeitura de Miranda como forma de pagamento da multa ambiental devida por um produtor rural.

O acesso à ReBio se dá pela BR-262. Saindo de Miranda, percorrendo 45 quilômetros em direção a Corumbá, é preciso acessar a estrada vicinal que leva à Fundação Bradesco.

Nesta estrada, é necessário percorrer ainda 15 quilômetros até chegar à área que, repassada ao município em 2013, até hoje não recebeu manejo do poder público. O acesso, portanto é bastante difícil, sendo possível apenas a pé ou com veículos robustos.

O acesso à ReBio é difícil, uma vez que a área nunca recebeu manejo da Prefeitura, que é proprietária da reserva desde 2013. FOTO: Ascom Prefeitura/Luciano Justiniano.

A reserva fica na chamada “Borda da Serra da Bodoquena” e, segundo especialistas, é formada por um mosaico de vegetação que inclui Mata Atlântica, com domínio do cerrado e influências do Pantanal.

Parte da mata tem sido recuperada pelo trabalho da Fundação Neotrópica que, a partir de agora, passa a ter a parceria da Prefeitura de Miranda, graças a um instrumento de parceria firmado entre o prefeito Fábio Florença (PDT) e a ong. No início de julho, Florença foi, aliás, o primeiro prefeito a visitar a ReBio.

Conforme a Neotrópica, onças pintadas e outros animais silvestres já foram avistados na área, que possui um elevado número de pássaros de diversas espécies.

A reserva fica na chamada “Borda da Serra da Bodoquea” e, segundo especialistas, é formada por um mosaico de vegetação que inclui Mata Atlântica, com domínio do cerrado e influências do Pantanal. FOTO: Ascom Prefeitura/Luciano Justiniano.

Além da rica fauna, a ReBio de Miranda tem um atrativo único: uma gruta vertical inexplorada, que até agora, foi identificada como tendo 90 metros de profundidade em queda livre até a superfície da água. Não se sabe, ainda, qual a profundidade para além da superfície da água que há na gruta.

Especialistas que já estiveram no local dizem que pode se tratar da mais profunda gruta vertical do Mato Grosso do Sul.

A ReBio tem potencial para ser explorada não apenas como uma importante reserva biológica onde podem ser realizadas pesquisas importantes sobre o ecossistema da região, como também uma área de prática de atividades turísticas de contemplação, como a observação de pássaros, entre outras.

Em visita realizada à reserva, o prefeito Fábio Florença (PDT) plantou mudas e conheceu a área, acompanhado da vereadora Elange Ribeiro, de representantes da Fundação Neotrópica e com o secretário Municipal de Turismo, Ricardo Alexandre Pereira. FOTO: Ascom Prefeitura/Luciano Justiniano.

Mas, para tudo isso, é preciso, primeiro, haver manejo. A visita realizada ao local com a presença do prefeito Fábio Florença foi organizada pela vereadora Elange Ribeiro (PSD) que, quando ocupou o cargo de secretária de Turismo de Miranda, viabilizou parcerias de pesquisadores para iniciar o processo de organização da ReBio.

Após a visita, Florença assinou um termo de cooperação com a Fundação Neotrópica para realizar ações iniciais que vão garantir a manutenção, conservação e futura exploração sustentável da ReBio.

Além do prefeito e da vereadora, acompanharam os representantes da Fundação Neotrópica ainda o secretário Municipal de Turismo, Cultura, Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Ricardo Alexandre Pereira,  os engenheiros Priscila Alonso e Tiago Figueiredo

A gruta que há na reserva tem 90 metros de queda vertical. Na foto, uma visita feita há alguns meses, por especialistas. FOTO: Divulgação.

Notícias Relacionadas

Fundtur dobra o valor para eventos geradores de fluxo turístico

A Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul (Fundtur) lançou dois editais para fomento de eventos geradores de...