Bonito + entrevista Richard Rasmussen durante expedição em Bodoquena

Por Redação

Últimas Notícias

Jardim registra novo óbito por Covid-19

O Município de Jardim registrou mais um óbito por Covid-19. Conforme o boletim da Secretaria de Estado de Saúde,...

Dez moradores da região do Sudoeste do Estado acertam a quinta na Nota MS Premiada

O sorteio da Nota MS Premiada deste sábado (27) irá premiar 345 pessoas em Mato Grosso do Sul. Entre...

MS é o 2º no ranking nacional de vacinação

Em contraponto, o Estado já atingiu 3330 mortes O Estado do Mato Grosso do Sul registrou, nesta segunda-feira (1), a...

Prouni abre inscrições para lista de espera nesta segunda-feira

Diferentemente da segunda chamada, a espera não é automática Interessados em entrar na lista de espera de bolsas de estudo pelo Programa Universidade para Todos...

Prefeitura de Guia Lopes altera horário de atendimento ao público

A Prefeitura de Guia Lopes da Laguna divulgou, por meios das redes sociais, o novo horário de atendimento ao...

O biólogo Richard Rasmussen, famoso pelos programas de tevê que retratam a vida selvagem, está em Mato Grosso do Sul com a Expedição Brasil Biomas – projeto idealizado por ele, que fornece atendimento básico as comunidades, com serviços de odontologia, exames veterinários e castrações, beleza da mulher e procuradoria jurídica. Em Bodoquena, ele destacou que a Caravana é uma forma de devolver as comunidades, um pouco do que ele recebe.

“O Brasil Biomas surgiu da necessidade de olhar o Brasil com mais carinho. Já é a terceira vez que eu rodo o Brasil, mas dessa vez a gente quis deixar um pouquinho por onde passou, não só tirar, porque a gente ia, fazia fotos, vídeos e depois ia embora, sem contribuir para aquele povo”, afirmou ao Bonito +.

“Eu estou muito feliz aqui. Estou com 51 anos de idade e estou realizando a missão pela qual construí 20 anos de profissão. eu estou realizado nesse momento. Estava cansado de fazer só filminhos para televisão, eu quero mais do que isso sabe!”.

A Expedição vai rodar o Brasil, passando pelos seis biomas em sete anos, focando principalmente nas comunidades indígenas, ribeirinhas, entre outros. “Serão 7 anos, cada ano um bioma, na Amazônia são dois, e além de fazer o áudio visual, retratando fauna e flora e ampliar um pouco essa questão cultural, e para essas comunidades e culturas, deixar alguma coisa. Bodoquena na verdade, é a primeira cidade e a maior cidade que a Caravana já passou”, detalha Richard.

Segundo ele, a intenção era visitar a aldeia dos Kadiwéu, mas como não estavam conseguindo contato com o local, decidiram vir até Bodoquena para ir pessoalmente a aldeia. “A gente tem atendido as comunidades indígenas e eu queria muito produzir um conteúdo lá, como não consegui falar com o pajé pelo telefone, viemos pessoalmente, aí como estávamos aqui, demos essa esticada e resolvemos ficar esses três dias na cidade, atendendo os moradores daqui”, afirma, ao explicar que no dia 29 de março a equipe volta para a região, dessa vez para gravar com os indígenas.

Richard destaca que não tem a pretensão de mudar o Brasil com o projeto, mas de mostrar que é possível fazer sem esperar ações governamentais. “ Eu não vou resolver, com essa caravana, todos os problemas do Brasil e nem pretendo. Mas serve para dar uma cutucada e mostrar que dá para fazer. A iniciativa privada consegue fazer isso sem depender de dinheiro de governo. Aqui não tem dinheiro de governo e sim de gente que acredita nessa ideia e está colocando essa caravana para andar”.

Foto: Daniel/Conecta

O biólogo destaca que pretende ampliar os atendimentos e que no pouco tempo que está rodando, o projeto já tem conquistado importantes parceiros. “A gente quer implantar o atendimento médico, vamos estender na parte profissionalizante, fornecendo cursos que ajudem os moradores a ter uma profissão, já estamos trabalhando no sentido de auxiliar os produtores a chegarem no comprador, sem precisar do intermediário, com apoio jurídico para legalização de empresas”.

Em Bodoquena estão sendo atendidas em média 160 pessoas por dia, entre exames veterinários e castrações, odontologia, cabelereiro e maquiagem, que conta com apoio de duas voluntárias da cidade. A Expedição começou pelo Pantanal – a expedição já esteve, por exemplo, em Miranda, onde desenvolveu atividades na aldeia indígena terena Moreira. A expedição percorrerá ainda os biomas do Cerrado, da Floresta Amazônica, da Caatinga, Mata Atlântica e, finalmente, os pampas.

Sobre Bonito, Richard deixou um gostinho de suspense, afirmando que o município é uma grande paixão e que com certeza está incluindo na programação da Caravana. “Eu conheço Bonito muito bem, já gravei muitas vezes lá e tenho muitos amigos. Aliás, ela está nos planos. Não tem como não falar de lá, tem a questão turística e a gente está desenvolvendo, todo esse material que a gente está gravando vai fazer parte de um acervo vai ser disponibilizado gratuitamente. De um Brasil que é ecoturístico, que tem essa característica, mas que a gente ainda não acordou para isso. Agora a gente tem que se apossar disso. O ecoturismo é uma ferramenta incrível, porque envolve a parte cultural, gastronomia, artesanato, o etinoturismo. Então quando a gente entrar na parte do Cerrado, Bonito vai ser a estrela do pedaço. Eu amo Bonito, não existe lugar como Bonito, é maravilhoso”.

Os programas da Expedição Brasil Biomas estão disponíveis no canais oficiais do Richar Rasmussen e são transmitidos pela TV Cultura, aos domingos, a partir das 11 horas.

O Bonito + em parceria com o programa Conexão Bonito produziu uma reportagem de vídeo sobre passagem da Expedição por Bodoquena. O programa será exibido na próxima quinta-feira (25), às 19 horas, pela página da Conecta Marketing Estratégico e Comunicação no Facebook.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Notícias Relacionadas

Prouni abre inscrições para lista de espera nesta segunda-feira

Diferentemente da segunda chamada, a espera não é automática Interessados em entrar na lista de espera de bolsas de estudo pelo Programa Universidade para Todos...