FALAS FEMININAS – Relações superficiais

Últimas Notícias

Quem mais percebeu que as relações estão ficando cada vez mais superficiais?

Acredito que seja pela falta de autoconhecimento, sim autoconhecimento.

Às redes sociais devem ter intensificado isso, onde você conhece o outro pelo status, fotos e amigos em comum ao invés de conhecer, conversar e deixar fluir.

Imagine que, como você se relaciona com você mesmo é a maneira pela qual você provavelmente irá se relacionar com o outro, portanto, se você não se conhece, como irá aprofundar, mergulhar fundo no outro? Ou, se você não se conhece, como irá permitir que o outro aprofunde uma relação com você?  Percebe o quanto interfere o autoconhecimento nas relações?

Consequentemente, haverá limitações na relação; quando se uni uma pessoa que possui autoconhecimento e uma pessoa que não possui autoconhecimento. Um dos parceiros será visto como intenso e o outro como superficial, não dando sequência assim para uma relação mais profunda e duradoura. E, entre os dois, qual é a maneira certa de se relacionar?

Bom, existem mais vantagens em uma relação onde ambos os parceiros se conhecem, pois a maneira como irá direcionar um conflito será de maneira diferente; sem disputas para ver quem está certo, e sim, o que irá se questionar, é como resolver tal situação. É saber colocar limite na relação, sabemos o nosso limite quando nos conhecemos. É saber o que realmente quer para o futuro com o outro, e não chegar “no meio do caminho” e descobrir que “não era bem aquilo que você queria”, entra em discussão a RESPONSABILIDADE AFETIVA, podendo ser tema para a próxima semana.

Conflitos que geralmente surgem na relação quando não nos conhecemos:

  • Dúvida se é essa relação que almeja para o futuro;
  • Arrependimento em estar nessa relação;
  • Abusos psicológicos (quando não consegue identificar emoções que invadem a partir de falas do outro);
  • Brigas e discussões frequentes a respeito de um determinado assunto;
  • Não saber estabelecer limites.

Bom, o que eu quero te dizer é: se conheça, e perceba seu limite e o que você almeja em uma relação.

E, para se conhecer inicie pensando o que você gosta e o que não gosta de fazer; se permita sentir as emoções e saber distingui-las: raiva, amor, nojo, tristeza e medo. Se perceba. Tome consciência sobre você.

Adini Kecy Matias Costa, é psicóloga graduada pela Universidade Anhanguera-Uniderp Matriz, em 2017, em Campo Grande/MS, pelo método PBL (Projects Based Learning) em que a aprendizagem é realizada a base de problemas, sendo o modelo Internacional de inovação de ensino, utilizado pelas melhores Universidades do mundo, como a Harvard e a Massachusetts Institut of Technology (MIT). Atualmente atua na área clínica, no Instituto Carol Valdes, em Campo Grande, atendendo crianças, adolescentes e adultos, focando na qualidade de suas relações e no alívio de sua dor interna.

 

  • Os artigos publicados pelos colunistas são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam as ideias ou opiniões do Bonito+

Notícias Relacionadas

A difícil imposição de limites

Por Tania Maria Pellin Tania Maria Pellin. Graduada em Pedagogia pela Faculdades Integradas de Naviraí – FINAV, em 1996, Naviraí/MS. Especialista...

Miranda Portal do Pantanal

Sobre escolhas e renúncias

Relações de Trabalho