Entrada da Gruta do Lago Azul terá reajuste de 40%

Últimas Notícias

Cartão Postal de Bonito deve ser reaberto no início de março

O valor de entrada do principal Cartão Postal de Bonito (MS) terá um acréscimo de 40% a 46%, conforme calendário de baixa e alta temporada. Fechada desde março de 2020, a reabertura da Gruta do Lago Azul foi condicionada a uma série de fatores, desde a pandemia até oficialização de contratos entre União, Estado e Município e até o momento, o atrativo permanece fechado ao público. A expectativa é de que as atividades sejam retomadas no início de março, já com os valores alterados.

Conforme Projeto de Lei apresentado pelo Executivo Municipal e aprovado pelos vereadores durante sessão ordinária na noite desta segunda-feira (22), os valores de entrada da Gruta serão de R$ 90 e R$ 130, em baixa e alta temporada respectivamente. Os últimos valores praticados antes do fechamento do atrativo eram de R$ 64 e R$ 89, conforme apurado com agências de turismo da cidade.

A justificativa para aumento do preço, segundo explanado pelos parlamentares, é que, além de estar defasado, com a oficialização dos contratos entre os três poderes, Bonito receberá apenas 30% do valor da entrada e será responsável por todas os custos de operação do local, desde aquisição de EPIs e reforma da escadaria para reabertura, até despesas diárias com limpeza, manutenção e capacitação dos profissionais.

Do total do valor arrecado com o voucher, 20% fica para União, 10% para Estado, 20% para as Agências, 20% para os Guias e 30% para o Município.

Entenda as divisões:

Conforme a Constituição Federal as cavidades naturais subterrâneas e os sítios arqueológicos e pré-históricos do Brasil são bens da União. Em 1990, por meio do Decreto Federal 99.556 as cavidades naturais subterrâneas ganharam a condição de “patrimônio cultural brasileiro” e por isso a conservação e exploração da Gruta estavam nas mãos Governo de Mato Grosso do Sul, cedida ao Município de Bonito, porém não oficializada em documentação.

Com o fechamento durante a pandemia, a reabertura do atrativo ficou condicionada a acordos formais com a Secretaria do Patrimônio da União (SPU) e com o IMASUL (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul).

Em 20 de janeiro deste ano, a União publicou autorização de cessão onerosa da Gruta ao Município. O contrato foi oficializado na última sexta-feira (19) e garante ao SPU o repasse de 20% do valor arrecado com a entrada, além de R$ 33 mil anuais.

Já o Imasul tem os direitos legais sob a unidade de conservação, onde estão localizados a trilha de acesso a Gruta do Lago Azul e os sanitários. Também na última sexta-feira (19), foi publicada no Diário Oficial do Estado, a portaria autorizando o Município de Bonito a utilizar esse local, desde que, fazendo repasse de valores arrecadados com a taxa de visitação. O documento não apresentava percentual. O valor de 10% foi confirmado pelos vereadores na sessão de ontem.

Notícias Relacionadas

Ministro do Turismo faz passeio no Rio da Prata e participa de premiação em Bonito nesta sexta

O ministro do Turismo, Gilson Machado, estará em Mato Grosso do Sul nesta sexta-feira (17) para a 5ª edição...